Número total de visualizações de página

quinta-feira, 9 de março de 2017

Cervejas artesanais para acompanhar uma francesinha

A cerveja é a bebida de eleição para acompanhar uma francesinha, mas nem todas são as melhores para beber com ela. Mas nem todos os estilos se adequam à especialidade portuense. Agora que as cervejas artesanais portuguesas são cada em cada vez maior número e variedade, Ricardo Queirós, da Catraio – Craft Beer Shop seleccionou alguns rótulos que vão bem com a intensidade da especialidade portuense.
Ricardo assinala que se deve optar por uma cerveja de «estilo mais leve», para compensar o facto de estarmos diante de um prato pesado. Leve em termos de corpo mas também de álcool porque o picante convida a beber mais.

 D'Os Diabos - Weizenbier

Cerveja de trigo de aspeto turvo devido às leveduras que se mantêm em suspensão. A cor é amarelo vivo e a espuma é abundante. Aromas predominantes a travo e banana com muito baixo amargor. Teor alcoólico: 5,4 %. Consumir a 8 graus.
 OPO 74 - Common People

Uma lager em que o carácter do malte é equilibrado pelos lúpulos alemães clássicos. Aroma floral com notas cítricas. Teor alcoólico: 5,5% . Consumir entre 4 e 6 graus.
 Sovina Helles

Cerveja ao estilo Munique Helles. Sobressaiem os aromas do malte de cevada, sendo os lúpulos e os citrinos mais subtis. É ligeiramente doce. Teor alcoólico: 4,6%. Consumir entre 4 e 7 graus.
Vandoma – Highway to Helles

Cerveja pouco amarga e fresca, feita a partir da receita clássica de Munique. Teor alcoólico: 5,2%. Consumir entre 4 e 7 graus.

Sem comentários:

A MINHA MÚSICA

Loading...

Pesquisar neste blogue

Seguidores

Governo Moçambique

Governo de Macau

Governo Cabo Verde

Governo Angola