Número total de visualizações de página

quinta-feira, 12 de janeiro de 2017

10 PRODUTOS E SERVIÇOS QUE VÃO FICAR MAIS CAROS EM 2017

1. ELETRICIDADE


O preço da luz vai aumentar em média 1,2% no mercado regulado. No mercado liberalizado de eletricidade os aumentos das tarifas devem acompanhar o mercado regulado.
 

2. TRANSPORTES


O preço dos transportes públicos vão ficar mais caros 1,5% (em linha com a inflação) em 2017. No entanto, segundo o Governo, o aumento será atenuado uma vez que o IVA pago no título de transporte vai poder ser deduzido na totalidade.
 

3. AUTOMÓVEIS


Em 2017, verifica-se um aumento em matéria de tributação dos automóveis. O aumento será de cerca de 3,2% no ISV — Impostos Sobre Veículos e de 0,8% no IUC — Imposto Único de Circulação (mas pode ascender a 8,8% para os veículos mais poluentes).
 

4. PORTAGENS


Passar nas portagens também vai ficar mais caro, depois de três anos praticamente sem alterações. A proposta das concessionárias de auto-estradas aponta para um aumento de 0,84%.
 

5. RENDAS


As rendas das casas sobem 0,54%, o que significa o maior aumento desde 2014.
 

6. TELECOMUNICAÇÕES


Os clientes da MEO tiveram uma subida de cerca de 2,5% nos preços em novembro de 2016, os da Nowo 5%, em média, em janeiro do mesmo ano. Já a Vodafone e NOS afirmam não ter, até ao momento, aumentos previstos.
 

7. REFRIGERANTES


Com a novidade, no panorama fiscal português, da taxa que incide sobre o nível de açúcar, os refrigerantes vão aumentar até 0,30€ por cada garrafa de 1,5 litro.
 

8. TABACO


Como já é tradicional, também o preço do tabaco vai aumentar. O preço de um maço de tabaco deverá aumentar 0,10€
 

9. ÁLCOOL


As taxas de imposto aplicadas à cerveja e às bebidas espirituosas vão aumentar 3%
 

10. MANUAIS ESCOLARES

A conta final dos manuais escolares do primeiro ciclo e secundário vão aumentar cerca de 3€ e 15€, respetivamente.

Sem comentários:

A MINHA MÚSICA

Loading...

Pesquisar neste blogue

Seguidores

Governo Moçambique

Governo de Macau

Governo Cabo Verde

Governo Angola