Número total de visualizações de página

quarta-feira, 28 de outubro de 2015

É esta a composição do novo Governo:

Pedro Passos Coelho - Primeiro-ministro
Pedro Passos Coelho chegou a presidente do PSD em 2010 e tomou posse como primeiro-ministro em Junho de 2011. Desde cedo envolvido na política, esteve na última década antes de entrar no Governo no sector privado, no campo da energia e ambiente. Entre 1997 e 2001 foi vereador na Câmara Municipal da Amadora, tendo também neste período fundado o “Movimento Pensar Portugal”. É licenciado em Economia pela Universidade Lusíada. 
Paulo de Sacadura Cabral Portas – Vice-Primeiro-Ministro
 Licenciado em Direito pela Universidade Católica, liderou o CDS/PP pela primeira vez em 1998. Foi deputado entre 1995 e 2011. Nos Governos de Durão Barroso e Santana Lopes foi Ministro de Estado e da Defesa Nacional e Ministro de Estado e dos Negócios Estrangeiros até Julho de 2013. Depois da crise da "demissão irrevogável" passou a vice-primeiro-ministro, cargo que mantém no novo figurino.


Maria Luís Casanova Morgado Dias de Albuquerque – Ministra de Estado e das Finanças

Licenciada em Economia na Universidade Lusíada de Lisboa, é mestre em Economia Monetária e Financeira pelo Instituto Superior de Economia e Gestão. Fez carreira na Direcção-Geral do Tesouro e Finanças e no Ministério da Economia. Estreou-se em funções governamentais em 2011 como Secretária de Estado do Tesouro e Finanças, acompanhando a partir daí a interacção com Bruxelas. Passou a Ministra de Estado e das Finanças em 2013, depois da saída de Vítor Gaspar, substituição que desencadeou a "demissão irrevogável" de Portas. Mantém-se como número três do Governo.

Rui Manuel Parente Chancerelle de Machete – Ministro de Estado e dos Negócios Estrangeiros
Licenciado em Direito pela Universidade de Lisboa, é advogado há mais de 50 anos. Foi docente universitário e iniciou funções governativas há 40 anos, como secretário de Estado da Emigração. Foi deputado entre 1985 e 1994 e entre 1988 e 2010 presidiu à FLAD. Renova-se na pasta dos Negócios Estrangeiros numa altura em que o assunto Angola (que marcou parte do seu consulado) volta à ordem do dia.


José Pedro Correia de Aguiar-Branco – Ministro da Defesa Nacional;

Licenciado em Direito pela Universidade de Coimbra, foi ministro da Justiça do Governo de Santana Lopes. Em 2005 foi eleito deputado à Assembleia da República e presidiu no PSD à Comissão de Revisão do Programa do Partido. Mantém a pasta da Defesa Nacional, que ocupa desde 2011.

Luís Maria de Barros Marques Guedes – Ministro da Presidência e do Desenvolvimento Regional
 
Mais um ministro que se mantém na pasta de origem, ganhando contudo um novo pelouro - o Desenvolvimento Regional - com a saída de Poiares Maduro. Licenciado em Direito, foi secretário de Estado da presidência do Conselho de Ministros, passando a Ministro da Presidência aquando da saída de Miguel Relvas do Governo. Foi secretário de Estado Adjunto de Cavaco Silva no seu último Governo. Deputado desde 1995, foi presidente do Grupo Parlamentar do PSD. Passou pela presidência do Instituto da Juventude e pela vice-presidência da Câmara de Cascais.



Calvão da Silva tornou-se mais conhecido do grande público quando em 2010 Passos Coelho subiu à liderança do PSD. Nesta altura, o professor catedrático da Universidade de Direito de Coimbra fazia parte da direcção do PSD e foi ele quem redigiu a polémica proposta de revisão constitucional que punha em causa o despedimento por justa causa.

Fernando Negrão começou por ser juiz de círculo e tornou-se conhecido quando chegou à direcção da Judiciária. Tem ganho notoriedade nos últimos anos e repete agora experiência num Governo PSD/CDS.


Jorge Manuel Lopes Moreira da Silva – Ministro do Ambiente, Ordenamento do Território e Energia

Jorge Moreira da Silva é outro dos ministros que se mantém no cargo. O ministro do Ambiente e Energia  é especialista em ambiente e energia, sendo consultor internacional nestes sectores e professor convidado na área da sustentabilidade no ISCTE. No Congresso do PSD, em Abril de 2012, Moreira da Silva, que já era vice-presidente do partido, passou a ter a responsabilidade de fazer a coordenação permanente da comissão política e da actividade do PSD, ficando como número dois dos social-democratas e responsável pela coordenação das eleições autárquicas.


Maria da Assunção de Oliveira Cristas Machado da Graça – Ministra da Agricultura e do Mar

Doutorada em Direito Privado e professora na Faculdade de Direito da Universidade Nova de Lisboa. É militante do CDS desde 2007. Mantém-se no cargo de Ministra da Agricultura, que ocupava desde 2011 na última legislatura. 


Luís Pedro Russo da Mota Soares – Ministro da Solidariedade, Emprego e Segurança Social

Pedro Mota Soares continua na pasta da Solidariedade, Emprego e Segurança Social, cargo que ocupou desde o início da última legislatura. Licenciado em Direito, com pós-graduação em Direito do Trabalho, advogado e assistente universitário, fez sempre parte do núcleo duro de Paulo Portas desde que este assumiu a liderança dos democratas-cristãos. Ex-presidente da Juventude Popular, cedo Paulo Portas o chamou para a direcção do partido, atribuindo-lhe mesmo o cargo de secretário-geral e incluindo-o nas listas para deputado.



 
Foi secretário de Estado-adjunto e dos assuntos europeus em 2011 até 2013, já com Pedro Passos Coelho e é actualmente secretário de Estado-adjunto do vice-primeiro-ministro. Passou pelo conselho de administração e presidente da comissão executiva do BPI - Gestão de Activos, BPI Vida e BPI Pensões e foi também vice-presidente do conselho de administração da BPI Global investment Fund.



Leal da Costa passa de secretário de Estado a ministro da Saúde. O médico defende um SNS verdadeiramente universal passa pelo “maior reforço entre o sector público e privado”.



Margarida Mano é professora de Economia na Universidade de Coimbra onde foi vice-reitora das áreas financeiras e de serviços de acção social vai ser a nova inquilina da 5 de Outubro.


 
Especialista em Direito Administrativo e Constitucional, é licenciado em Direito pela Faculdade de Direito da Universidade Católica Portuguesa, e  sócio fundador da Sociedade de Advogados Sérvulo Correia & Associados. Foi adjunto do Ministro da República para a Região Autónoma dos Açores, de 1991 a 1993. De 2002 a 2005 foi director da Faculdade de Direito da Universidade Católica Portuguesa.



Teresa Morais, que era secretária de Estado dos Assuntos Parlamentares e da Igualdade na anterior legislatura, será ministra da Cultura no novo Governo que hoje foi indigitado por Cavaco Silva.



 
Foi secretário de Estado de Durão Barroso e ministro da Agricultura, Pescas e Florestas, de Santana Lopes, onde assinou com Nobre Guedes (ministro do Ambiente) e Telmo Correia (Turismo) o despacho que aprovou o empreendimento Portucale, depois investigado por suspeitas de corrupção. Em 2008 foi candidato a Presidente do Governo Regional, perdendo para Carlos César (PS). Deputado à Assembleia da República desde 2011, foi novamente eleito no passado dia 4 de Outubro.

Sem comentários:

A MINHA MÚSICA

Loading...

Pesquisar neste blogue

Seguidores

Governo Moçambique

Governo de Macau

Governo Cabo Verde

Governo Angola