Número total de visualizações de página

quinta-feira, 30 de setembro de 2010

Avaliação dos professores: de farsa a passatempo inútil


Avaliação dos professores: de farsa a passatempo inútil

Já sabíamos que avaliação do desempenho dos professores imposta pelo génio reformista de Sócrates, mesmo que as suas decisões e práticas de (des)governação não sejam objecto de nenhuma avaliação e de nenhuma consequência, era e é uma farsa de cabo a rabo, com dimensões subjectivas e absurdas, com avaliadores destituídos de formação, competência acrescida e imparcialidade, com uma gestão artificial (quando não amistosa) de classificações e com efeitos contraproducentes no investimento dos professores nas aprendizagens dos alunos.
A partir do PEC3, acresce a tudo isto a dimensão de passatempo inútil, pois, se em termos pedagógicos e científicos a avaliação do desempenho não contribui para a melhoria das práticas lectivas e dos resultados dos alunos (basta analisar as descidas nas médias das classificações obtidas em exames nacionais, por parte dos alunos oriundos de escolas que implementaram o modelo), restava a consequência de diferenciação (arbitrária) dos professores para efeitos de progressão e de concursos.
Na iminência de não haver concursos tão cedo e na certeza de que ninguém vai progredir, a conclusão sobre a relevância da avaliação é óbvia:
- a avaliação do desempenho não serve para nada, excepto para perturbar a vida escolar.

Manuais escolares gratuitos para todos no próximo ano lectivo

Ensino

Manuais escolares gratuitos para todos no próximo ano lectivo


PS e PSD vão viabilizar os projectos-lei do Bloco de Esquerda e do CDS que criam bolsa de empréstimos

As escolas terão a tarefa de recolher e distribuir os manuais aos alunos
VídeoAudio

A partir do próximo ano lectivo, as escolas públicas






vão poder distribuir gratuitamente os manuais escolares aos alunos do ensino básico e secundário através de bolsas de empréstimos. O i apurou que a oposição se prepara para viabilizar amanhã os projectos de lei do Bloco de Esquerda e do CDS-PP que permitem aos estabelecimentos de ensino criar um sistema de empréstimos acessível a todas as famílias, independente da sua condição socioeconómica. +[aqui]

quarta-feira, 29 de setembro de 2010

Matrículas pela internet

Secretário de Estado João Mata

Governo anuncia inovação no 1.º ano do básico

Matrículas pela internet

As matrículas para o 1º ano do ensino básico poderão ser feitas pela internet a partir de Janeiro por portadores do Cartão do Cidadão, disse à Lusa o secretário de Estado da Educação, João Mata.

A Agenda Digital 2015 prevê que em 2012 sejam colocados no Portal da Educação espaços pessoais com notas e faltas, para os pais acompanharem a vida escolar dos filhos.

Inquérito do Ministério diz que 92 por cento dos professores utilizam portátil na escola


Inquérito do Ministério diz que 92 por cento dos professores utilizam portátil na escola

Magalhães usado na aula por quase todos

Mais de 92 por cento dos professores do 1º Ciclo afirmam utilizar o computador Magalhães em contexto de sala de aula, indica um inquérito aos docentes realizado pelo Gabinete de Estatística e Planeamento da Educação (GEPE), organismo do Ministério da Educação.+ [aqui]

Insólito

Currículos de Sócrates variam consoante os sítios: PS, Governo ou Universidade de Columbia.

Insólito

Currículo para americano ver

Primeiro-ministro tem três currículos oficiais diferentes. José Sócrates aparece como fundador da JSD e licenciado em Coimbra no currículo oficial fornecido a uma universidade dos Estados Unidos.

Meu querido livro de leitura da primeira classe...

Meu querido livro de leitura da primeira classe...
Contigo entrei na aventura das primeiras letras, das palavras e das histórias.
Esse dia mágico lá chegou, depois da batalha da aprendizagem letra a letra, começando pelas vogais e depois pelas consoantes. Jamais esquecerei esse progresso diário, em que à medida que se aprendia mais uma consoante aumentava o número de palavras, até que, passo-a-passo, dia-a-dia, as histórias, as leituras, íam ficando mais extensas.
Depois das vogais, com o A associado a uma águia, o E de égua, o I de igreja, o O de ovos e o U de uvas, aprendemos o P. Com ele aprendemos a ler e a escrever pá pé piu, pua, pipa, pópó, pai e papá. Depois veio o T e com ele a tia, tua tia, titi, a tia tapa o pote, o pato. Depois vieram o L, o D, o M, o V e por aí fora, até se completar todo o nosso alfabeto. Finalmente as leituras, com todas as letras. Histórias simples, como convinha a quem se iniciava nas letras, mas belas, como esta:

A Noite de Natal
A mãe passou o dia na cozinha, com os preparativos para a consoada.
Fez arroz-doce, filhós e outros bolinhos.
A Rita e a prima enfeitaram a mesa para a ceia.
O Pedro e o Carlos acenderam as velinhas do presépio.
Quando tudo estava pronto, chegou o pai e disse: - Vamos, meninos!São horas de irmos à Missa do galo!
E lá foram todos, muito contentes.


Deste livro de leitura da primeira classe, bem como do livro de leitura da segunda classe, mantenho um fascínio pelas belas ilustrações da Maria Keil e do Luis Filipe de Abreu, dos quais mais tarde procurei vasculhar e guardar algumas ilustrações que enriqueceram outras publicações. Ambos têm um traço e estilo inconfundíveis. Muito da memória destes dois livros de leitura fundamentam-se nas ilustrações. Ontem, como hoje, a ilustração continua a exercer essa magia e fascínio nas crianças, ajudando-as a entrar no mundo da fantasia e dos sonhos e que, na justa realidade, há-de acompanhá-las pela vida fora.

Quem com o tempo esqueceu ou apagou as memórias do seu livro de leitura da primeira classe, certamente que já perdeu um pouco de si próprio e da sua infância. A vida é mesmo assim, mas por isso importa e justificam-se as recordações, porque, como alguém diz, isso é viver. Ou reviver, talvez.


livro de leitura da primeira classe ceia de natal

25 de ABRIL de 1974 - CARTA DE UM ALUNO AO EX-PROFESSOR DE HISTÓRIA




25 de ABRIL de 1974 - CARTA DE UM ALUNO AO EX-PROFESSOR DE HISTÓRIA

CARTA DE UM ALUNO AO EX-PROFESSOR DE HISTÓRIA

E ISTO 34 ANOS DEPOIS…

Exmo Senhor Professor,

Sou obrigado a escrever-lhe, nesta data, depois de ter escutado, com toda a atenção, a aula de História, que nos deu sobre a Revolução de Abril de 1974.

Li todos os apontamentos que tirei na aula e os textos de apoio que me entregou para me preparar para o teste, que o Senhor Professor irá apresentar-nos, na próxima semana, sobre a Revolução dos Cravos.

Disse o Senhor Professor que a Revolução derrubou a ditadura salazarista e veio a permitir o final da Guerra Colonial, com a conquista da Liberdade do Povo Português, o dos Povos dos territórios que nós dominávamos e que constituíam o nosso Império.

Afirmou ainda que passámos a viver em Democracia e que iniciámos uma nova política de Desenvolvimento, baseada na economia de mercado.

Informou-nos também que a Censura sobre os órgãos de Comunicação Social terminara e que a PIDE/DGS, a Polícia Política do Estado Fascista, acabara, dando a possibilidade aos Portugueses de terem liberdade de expressão, opinião e pensamento. Hoje, todos eles podem exprimir as suas opiniões nos jornais, rádio, televisão, cinema e teatro, sem receio de serem presos.

Disse igualmente que Portugal era um país isolado no contexto internacional e que agora fazemos parte da União Europeia e temos grande prestígio no mundo. Que somos dos poucos países da União a cumprir, na íntegra, os cinco critérios de convergência nominal do Tratado de Maastricht para fazermos parte do pelotão da frente com vista ao Euro.

Li os textos de apoio do Professor Fernando Rosas, onde me informam que os Capitães de Abril são considerados heróis nacionais, como nunca houvera antes na nossa história, e que eles são os responsáveis por toda a modernidade do nosso país, pois se não tivesse acontecido a memorável Revolução, estaríamos na cauda da Europa e viveríamos em grande atraso, em relação aos outros países, e num total obscurantismo.

Tinha já tudo bem compreendido e decorado, quando pedi ao meu pai que lesse os apontamentos e os textos para me fazer perguntas sobre a tal Revolução, com vista à minha preparação para o teste, pois eu não assisti ao acontecimento histórico, por não ter ainda nascido, uma vez que, Como sabe, tenho apenas dezasseis anos de idade.

Com o pedido que fiz ao meu pai, começaram os meus problemas, pois ele ficou horrorizado com o que o Senhor Professor me ensinou e chamou-lhe até mentiroso porque conseguira falsificar a História de Portugal. Ele disse-me que assistira à Revolução dos Cravos dos Capitães de Abril e que vira com «os olhos que a terra há-de comer» o que acontecera e as suas consequências.

Disse-me que os Capitães foram os maiores traidores que a nossa História conhecera, porque entregaram aos comunistas todo o nosso império, enganando os Portugueses e os naturais dos territórios, que nos pertenciam por direito histórico. Que a Guerra no Ultramar envolvera toda a sua geração e que nela sobressaíra a valentia dum povo em armas, a defender a herança dos nossos maiores.

Que já não existia ditadura salazarista, porque Salazar já tinha morrido na altura e que vigorava a Primavera Marcelista que, paulatinamente, estava a colocar Portugal na vanguarda da Europa. Que hoje o nosso país, conjuntamente com a Grécia, são os países mais atrasados da Comunidade Europeia.

Que Portugal já desfrutava de muitas liberdades ao tempo do Professor Marcelo Caetano, que caminhávamos para a Democracia sem sobressaltos, que os jovens, como eu, tinham empregos assegurados, quando terminavam os estudos, que não se drogavam, que não frequentavam antros de deboche a que chamam discotecas, nem viviam na promiscuidade sexual, que hoje lhes embotam os sentidos.

Disse-me também que ele sabia o que era Deus, a Pátria e a Família e que eu sou um ignorante nessas matérias. Aliás, eu nem sabia que a minha Pátria era Portugal, pois o Senhor Professor ensinou-me que a minha Pátria era a Europa.

O meu pai disse-me que os governantes de outrora não eram corruptos e que após o 25 de Abril nunca se viu tanta corrupção como actualmente.

Também me disse que a criminalidade aumentara assustadoramente em Portugal e que já há verdadeiras máfias a operar, vivendo à custa da miséria dos jovens drogados e da prostituição, resultado do abandono dos filhos de pais divorciados e dum lamentável atraso cultural, em virtude de um Sistema Educativo, que é a nossa maior vergonha, desde há mais vinte anos.

Eu fiquei de boca aberta, quando o meu pai me disse que a Censura continuava na ordem do dia, porque ele manda artigos para alguns jornais e não são publicados, visto que ele diz as verdades, que são escamoteadas ao Povo Português, e isso não interessa a certos orgãos de Comunicação Social ao serviço de interesses obscuros.

O meu pai diz que o nosso país é hoje uma colónia de Bruxelas, que nos dá esmolas para nós conseguirmos sobreviver, pois os tais Capitães de Abril reduziram Portugal a uma «pobreza franciscana» e que o nosso país já não nos pertence e que perdemos a nossa independência.

Perguntei-lhe se ele já ouvira falar de Mário Soares, Almeida Santos, Rosa Coutinho, Melo Antunes, Álvaro Cunhal, Vítor Alves, Vítor Crespo, Lemos Pires, Vasco Lourenço, Vasco Gonçalves, Costa Gomes, Pezarat Correia… Não pude acrescentar mais nomes, que fixara com enorme sacrifício e trabalho de memória, porque o meu pai começou a vomitar só de me ouvir pronunciar estes nomes.

Quando se sentiu melhor, disse-me que nunca mais lhe falasse em tais «sacanas de gajos», mas que decorasse antes os nomes de Vasco da Gama, Pedro Álvares Cabral, Diogo Cão, D. João II, D. Manuel I, Bartolomeu Dias, Afonso de Alburquerque, D. João de Castro, Camões, Norton de Matos, porque os outros não eram dignos de ser Portugueses, mas estes eram as grandes e respeitáveis figuras da nossa História.

Naturalmente que fiquei admirado, porque o Senhor Professor nunca me falara nestas personagens tão importantes e apenas me citara os nomes que constam dos textos do Professor Fernado Rosas.

Senhor Professor, dada a circunstância de o meu pai ter visto, ouvido, sentido e lido a Revolução de Abril, estou completamente baralhado, com o que o Senhor me ensinou e com a leitura dos textos de apoio. Eu julgo que o meu pai é que tem razão e, por isso, no próximo teste, vou seguir os conselhos dele.

Não foi o Senhor Professor que disse que a Revolução nos deu a liberdade de opinião? Certamente terei uma nota negativa, mas o meu pai nunca me mentiu e eu continuo a acreditar nele.

Como ele, também eu vou pôr uma gravata preta no dia 25 de Abril, em sinal de luto pelos milhares de mortos havidos no nosso Império, provocados pela Revolução dos Espinhos, perdão, dos Cravos.

O Senhor disse-me que esta Revolução não vertera uma gota de sangue e agora vim a saber que militantes negros que serviram o exército português, durante a guerra, que o Senhor chamou colonial, foram abandonados e depois fuzilados pelos comunistas a quem foram entregues as nossas terras.

Desculpe-me, Senhor Professor, mas o meu pai disse-me que o Senhor era cego de um olho, que só sabia ler a História de Portugal com o olho esquerdo. Se o Senhor tivesse os dois olhos não me ensinaria tantas asneiras, mas que o desculpava porque o Senhor era um jovem e certamente só lera o que o Professor Fernando Rosas escrevera.

A minha carta já vai longa, mas eu usei de toda a honestidade e espero que o Senhor Professor consiga igualmente ser honesto para comigo, no próximo teste, quando o avaliar.

Com os meus respeitosos cumprimentos

O seu aluno

Nuno Tavares

Terça-feira, 20 de Maio de 2008

Revolta contra Sousa Tavares

Miguel Sousa Tavares voltou a envolver-se em polémica com professores: Mário Nogueira acusa-o de mentir

Educação

Revolta contra Sousa Tavares

Professores indignados com declarações do comentador. “Os professores passaram todos a ganhar mais automaticamente e vão ser todos classificados com Muito Bom e Óptimo”, foi a frase mais visada.

O levara MST a estar tantas vezes contra os professores?

Afinal a subida dos ordenados e assim ou não é?

Bom é o que todos têm [madeira] como exemplo ou também existem suficientes?

O que escondem os Sindicatos dos Portugueses.

Subidas dos professores.

Remunerações

Horas extraordinárias

Isenção de horários

Será MST fala de um outro Pais ou fala de Portugal e dos seus professores?

Já agora uma anedota:

Vida de professor é dura


Retirado do folheto de um supermercado Um tipo vai andando pela rua quando, de repente, um assaltante mascarado aponta-lhe a arma e diz: - Passa para cá o relógio! O coitado dá-lhe o seu Rolex falso e o ladrão reclama. - O que é isto? Esta porcaria não vale nada! Passa a carteira... O homem dá-lhe a sua carteira de plástico, imitação de pierre Cardin e o assaltante encontra nela 3 passes de autocarro, 2 senhas de refeição e 5 euros. Já meio chateado, o ladrão diz: - Tu és mesmo uma porcaria... o teu casaco está gasto, os teus sapatos estão velhos e a única coisa que parece que presta é uma reles imitação barata! Afinal, o que é que fazes na vida? O tipo responde, quase chorando: - Sou professor! E o ladrão, tirando a máscara, pede-lhe desculpa e pergunta com um sorriso simpático: ´- És mesmo? Ficaste colocado? Em que escola?...

Ora ai esta os índices

Negociações em torno dos diplomas sobre o Estatuto da Carreira Docente vão continuar na próxima semana

1.º Escalão

Os professores que entram na carreira são pagos pelo índice 167, que representa um salário bruto de 1518,63 euros. Passou a ser exigida a aprovação numa prova de acesso.

2.º Escalão

Ao fim de quatro anos e mediante uma avaliação de pelo menos "bom" (só exigida a partir do próximo ciclo avaliativo), o salário bruto do professor sobe para os 1709,60 euros brutos (índice 188).

3.º Escalão

Mais quatro anos de carreira, sem penalizações nas classificações, garantem um vencimento bruto de 1864,19 euros (índice 205).

4.º Escalão

Cumpridos o mesmo tempo de progressão, o vencimento bruto passa a totalizar 1982,40 euros, correspondentes ao índice 218.

5.º Escalão

O último da carreira regular de professor, onde se encontra boa parte da classe. O vencimento é de 2137 euros brutos (índice 235)

6.º Escalão

Escalão suplementar, reservado aos professores que, reunindo as condições, não obtiveram vaga de titular. O salário bruto é igual ao do 1.º escalão de titular: 2227,93 euros (índice 245).

7.º Escalão

Outro escalão suplementar criado pela anterior equipa do ME. Ainda ninguém o atingiu. Pagaria cerca de 2450 euros brutos.

Carreira de titular

1.º Escalão

Aplica-se o índice 245, equivalente ao do 6.º escalão de professor.

2.º Escalão

O primeiro exclusivo da categoria de titular. Salário bruto de 2718,99 euros, no índice 299.

3.º Escalão

O actual topo da carreira de professor titular, conferindo um vencimento mensal de 3091,82 euros, correspondentes ao índice 340.

4.º Escalão

Patamar adicional para quem está no topo da carreira, prometido pela anterior ministra
Nota: Vencimentos com valores ilíquidos.
Fonte: Diário de Notícias de 25/11/2009

segunda-feira, 27 de setembro de 2010

Reformas -DOURADAS / POLITICOS


Reformas

Número de pensionistas com reformas milionárias não pára de aumentar: No Estado, são já 4763 pessoas; no regime da Segurança Social 818 recebem pensão dourada.

Pensões douradas custam 25 milhões

Reformas milionárias não param de aumentar. Quase 5.600 pessoas recebem pensões superiores a 4 mil euros

Os números não deixam margem para dúvidas: as reformas milionárias não param de aumentar, mesmo em altura de crise. Em 10 meses, as pensões douradas «engordaram» 5% e custam já 25 milhões de euros aos cofres do Estado todos os meses.

Actualmente, há 5.581 pessoas com pensões acima dos 4 mil euros, revela o «Correio da Manhã» na sua edição desta segunda-feira. Com os novos aposentados entre os meses de Janeiro a Outubro deste ano, contam-se 4.763 na Caixa Geral de Aposentações e 818 na Segurança Social.

Quem recebe mais?

O recorde de crescimento nas reformas milionárias deu-se entre os funcionários do Estado. No período analisado, aposentaram-se 230 pessoas com reformas acima dos 4 mil euros. Já os dados da Segurança Social, apontam para 67 novos aposentados neste período, com reformas superiores a 5.030 euros.

Justiça, Ensino Superior e Saúde são os sectores com as pensões mais chorudas.

Este cenário contrasta com a realidade vivida pela maioria dos portugueses em situação de reforma, uma vez que recebem, em média apenas 397 euros.

Pensões com aumentos abaixo de 1% no próximo ano


Lista mensal de Aposentados e Reformados: Outubro 2010 [AQUI] (PDF)

domingo, 26 de setembro de 2010

Finanças: Provedor está a analisar a fundamentação de Teixeira dos Santos


Finanças: Provedor está a analisar a fundamentação de Teixeira dos Santos

Governo recusa subir taxa de juro

O ministro das Finanças recusou acatar a recomendação do ex-provedor de Justiça, Nascimento Rodrigues, para repor a taxa de juro que era aplicada aos Certificados de Aforro da série B antes de 24 de Janeiro de 2008, data em que entrou em vigor uma forma de remuneração mais desfavorável para os aforradores. Para já, Alfredo José de Sousa, sucessor de Nascimento Rodrigues, está, segundo revelou ao CM a Provedoria de Justiça, a analisar "a fundamentação" de Teixeira dos Santos para não acolher aquela recomendação.

Por:António Sérgio Azenha

A solicitação do ex-provedor de Justiça, que resultou de "inúmeras queixas" de pequenos aforradores, foi enviada ao ministro das Finanças no dia 20 de Janeiro de 2009. A posição de Teixeira dos Santos só chegou, segundo a Provedoria de Justiça, "ao cabo de um ano e meio de inúmeras insistências". E foi clara: "Esta resposta foi no sentido do não acatamento da recomendação e a fundamentação apresentada pelo Ministério das Finanças encontra-se em análise, prevendo-se que, muito em breve, seja tomada posição final sobre o assunto por parte do provedor de Justiça."

Ao que o CM apurou, caso Alfredo José de Sousa não aceite a fundamentação apresentada pelo Ministério das Finanças, o assunto poderá ser comunicado à Assembleia da República. E, se assim for, Teixeira dos Santos corre sérios riscos de ter de dar explicações aos deputados.

O ex-provedor de Justiça comunicou também ao ministro das Finanças o "gritante sentimento de desalento" dos investidores. E precisou: "É patente, pois, que estes milhares de pequenos aforristas, que foram subscrevendo, ao longo dos anos, Certificados de Aforro para a sua ‘velhice', ou como ‘complemento da minha baixa pensão de reforma' (assim o escrevem) sentem que o seu contrato com o Estado português foi abruptamente violado."

Nascimento Rodrigues deu mais uma achega: "E, de facto, a portaria 73-B/2008 entrou em vigor no dia seguinte ao da sua publicação, colhendo inopinadamente de surpresa estes pequenos aforradores."

ALTERAÇÃO DA LEI GERA POUPANÇA DE 412 MILHÕES

As alterações na forma de remuneração dos Certificados de Aforro estão a surtir efeito no Orçamento do Estado: em 2009, segundo o relatório anual do Instituto de Gestão da Tesouraria e do Crédito Público (IGCP), os encargos com juros associados a este título de dívida pública registaram um decréscimo de 312 milhões de euros. E em 2008 essa poupança ascendera já a mais de 100 milhões de euros.

Em 2009, a taxa de juro, por força das alterações e da Euribor, desceu bastante: foi de três por cento, contra 4,7 por cento em 2008.

sábado, 25 de setembro de 2010

Presidente da República convoca partidos

Para discutir situação política, económica e social

24.09.2010 - 12:46 Por PÚBLICO

O Presidente da República, Cavaco Silva, convocou os partidos com assento parlamentar para discutir a situação política, económica e social na terça e quarta-feira.
Os encontros decorrerão em audiências sucessivas
Os encontros decorrerão em audiências sucessivas (Foto: Miguel Madeira/arquivo)
O comunicado da Presidência da República é curto e diz apenas: "Com vista a uma auscultação acerca da situação política, económica e social do país, o Presidente da República vai receber, na próxima semana e em audiências sucessivas, os representantes dos partidos políticos com assento parlamentar."

A mesma nota indica que as audiências decorrerão nos dias 28 e 29 de Setembro, mas não são adiantadas as horas dos encontros.

ASAE - não investiga condiçõs no próprio ESTADO



  1. ASAE fechou armazéns de cereais no Porto de Aveiro


    Notícias de Aveiro - 1 dia atrás
    Utilização dos armazéns do terminal Norte para cereais “pode estar em causa” após a selagem das instalações pela ASAE por falta de higiene, ...
    Ratos e pombos mortos «fecham» dois armazéns- Diário IOL
    todos os 7 artigos de notícias »

    Notícias de Aveiro
  2. Portas: ASAE devia fiscalizar produtos asiáticos em Portugal


    Diário de Notícias - Lisboa - 4 dias atrás
    O líder do CDS-PP, Paulo Portas, defendeu hoje, no Porto, que a Autoridade de Segurança Alimentar e Económica (ASAE) devia fiscalizar os produtos asiáticos ...
  3. ASAE selou parquímetros de Olhão


    Público.pt - 3 dias atrás
    A Autoridade de Segurança Alimentar e Económica (ASAE) mandou selar, por algumas horas, os parquímetros de Olhão. A intervenção foi justificada com os ...
    Olhão: BE estranha parquímetros ativos após apreensão, autarquia ...- Região Sul
    todos os 5 artigos de notícias »

    Jornal do Algarve
  4. Processos de vendas com prejuízo atinge valor mais alto dos ...


    Público.pt - 17 horas atrás
    A Associação Nacional dos Industriais do Arroz (ANIA) foi uma das entidades que, em Junho de 2009, fizeram chegar à ASAE uma queixa contra os maiores ...
  5. ASAE detecta manuais escolares vendidos acima do preço


    Diário Digital - 8 set. 2010
    A Autoridade de Segurança Alimentar e Económica (ASAE) abriu seis processos-crime a lojas que estavam a vender os manuais escolares a preços superiores ao ...
    ASAE instaura processos-crime por venda de livros escolares acima ...- Público.pt
    ASAE fiscaliza manuais escolares- Sol
    Manuais: ASAE instaura seis processos-crime e multa 22 lojas- TVI24
    Jornal de Negócios - Portugal
    todos os 22 artigos de notícias »

    Destak
  6. ASAE fecha restaurante do hospital de Vila Franca de Xira


    Rádio Renascença - 8 set. 2010
    Falta de condições de asseio e higiene ditaram o fecho do restaurante, que só poderá ser reaberto quando passar numa próxima vistoria da ASAE. ...
    ASAE fecha bar do hospital de Vila Franca de Xira- Diário Digital
    ASAE encerra bar do Hospital de Vila Franca de Xira- O Mirante
    Bar do hospital de Vila Franca de Xira encerrado pela ASAE por ...- Fábrica de Conteúdos
    todos os 30 artigos de notícias »

    O Mirante
  7. ASAE apreende parquímetros


    Correio da Manhã - 17 set. 2010
    Já no decurso desta semana, a Autoridade de Segurança Alimentar e Económica (ASAE) apreendeu um número significativo de máquinas, em resultado de uma acção ...

    De todas estas medidas e muitas mais que poderia descrever, o facto é que existem milhares de situações dentro do próprio estado em piores condições que a ASAE nada faz. Mas ao pobre do contribuinte que paga a tempo e horas que quando se atrasa cobram-lhe juros ele [estado] demora a pagar e sem juros.
    Quem não visitou já repartições do estado empéssimas condições de trabalho e não as fecham?
    Quantos são os que trabalham com falta de luz, água, limpeza e continua a trabalhar porque é estado e não é inspecionado pelas condições de trabalho.

Governo ordenou a suspensão da renovação da frota automóvel das Águas de Portugal



Governo ordenou a suspensão da renovação da frota automóvel das Águas de Portugal

Os ministros das Finanças e do Ambiente exigem um plano detalhado das necessidades de renovação dos automóveis da empresa. A decisão, que terá que ser aplicada "de imediato", surge um dia depois de ter sido revelado que a Águas de Portugal tem cerca de 400 automóveis topo de gama. O Correio da Manhã divulgou que só este ano já foram substituídas 34 viaturas de alta cilindrada nesta empresa do Estado.

Lindsay Lohan volta a ser presa após violar liberdade condicional

Lindsay Lohan volta a ser presa após violar liberdade condicional

Washington, 24 set (EFE).- A atriz americana Lindsay Lohan voltará à prisão sem direito a pagamento de fiança por violação da liberdade condicional, após dar positivo em dois testes antidrogas nos últimos dias, informou nesta sexta-feiraa rede "CNN".

A artista, de 24 anos, compareceu em Los Angeles (EUA) perante o juiz Elden Fox, que lhe informou a pena que será mantida até a próxima audiência, marcada para o dia 22 de outubro, quando será comunicado se Lindsay continuará detida.

Os termos de sua liberdade condicional diziam que a atriz ficaria 30 dias presa se algum exame que indica o consumo de drogas voltasse a dar positivo.

Acompanhada de sua mãe e vestida com um jaqueta preta e óculos escuros, a atriz entrou no tribunal de Beverly Hills rodeada de fotógrafos e câmeras de televisão, que não puderam acompanhar a audiência.

Este processo é mais um problema que Lindsay enfrenta com a justiça desde 2007, quando foi detida dirigindo alcoolizada, e que se prolonga pelos vários descumprimentos da liberdade condicional.

Em julho, a atriz de "Sexta-Feira Muito Louca" (2003) teve que se entregar às autoridades para cumprir 13 dias de prisão por violar a liberdade condicional e não comparecer as aulas semanais de educação contra o alcoolismo.

Processos perdidos no Supremo

Processos perdidos no Supremo

Ministério Público investiga vários volumes desaparecidos no Supremo Tribunal de Justiça.

Ricardo Marques (www.expresso.pt)
13:50 Terça feira, 21 de Setembro de 2010

Noronha do Nascimento  comunicou os desaparecimentos ao Ministério Público
Noronha do Nascimento comunicou os desaparecimentos ao Ministério Público
Gonçalo Rosa da Silva/Visão








Vários volumes de pelo menos quatro processos desapareceram nas instalações do Supremo Tribunal de Justiça (STJ). A falta dos documentos foi notada em Maio e o caso, depois de esgotados todos os meios internos de investigação, foi comunicado ao Ministério Público e ao Conselho de Oficiais de Justiça.

Dois dos volumes desaparecidos pertencem a um processo em que terão sido desviados quatro milhões de euros por dois sócios de uma empresa leiloeira. Os dois homens, que trabalhavam com vários tribunais na venda de património de empresas falidas, levavam imóveis a leilão, mas depositavam o dinheiro das transações nas suas contas pessoais. Os factos terão ocorrido entre 2000 e 2003. Um dos arguidos conseguiu fugir para Moçambique e nunca voltou.

O desaparecimento dos dois volumes em falta, de um total de 21 que constituem o processo, foi comunicado ao presidente do STJ a 13 de Maio, por correio eletrónico. "De imediato, fez-se um visionamento total da informação recolhida pelas câmaras de videovigilâncias existentes, sem se ter obtido qualquer resultado concreto", explicou ao Expresso, por escrito, Noronha do Nascimento, presidente do STJ.

Ao mesmo tempo, vários funcionários começaram a procurar os documentos no edifício da Praça do Comércio, em Lisboa. Não só não conseguiram encontrá-los como perceberam que havia mais volumes - de outros processos e de outras secções criminais do Supremo - que não estavam onde deveriam estar. "Houve mais alguns processos desaparecidos, poucos. Já todos eles tinham sido decididos definitivamente", esclareceu Noronha do Nascimento. O caso foi comunicado ao Conselho de Oficiais de Justiça e, em 16 de junho de 2010, à Procuradoria-Geral da República.

Foragido recorre


O único processo em curso de onde faltam documentos é mesmo o da leiloeira. Os dois arguidos foram condenados a penas diferentes e por um número distinto de crimes. Um deles, que fugiu para o Brasil mas acabou por ser capturado e extraditado para Portugal há três anos, foi condenado a oito anos de prisão e está preso. O outro, que ainda se encontra em Moçambique, foi condenado a 12 anos de cadeia e foi ele que, em virtude de a pena o permitir, avançou com o recurso para o Supremo.

Para colmatar o desaparecimento dos dois volumes e proceder à reconstituição do processo, os advogados e o Ministério Público tiveram de ser notificados para entregarem cópias dos documentos que tivessem consigo. Ao mesmo tempo, o Supremo teve de pedir ao tribunal de 1.º instância as restantes peças processuais. "Por força dessa reconstituição, pode haver algum atraso na decisão", referiu Noronha do Nascimento.

Os processos incompletos, segundo apurou o Expresso, pertencem às 3.ª e 5.ª secções do Supremo e estariam numa sala pertencente ao Ministério Público, que tem instalações no primeiro e no terceiro piso do tribunal. "Não confirmo que todos os processos desaparecidos estavam na mesma sala. Nada garante que o desaparecimento tivesse ocorrido nessa mesma sala, e é muito possível que tivesse sucedido noutro sítio", adiantou o presidente do STJ, sublinhando que "é proibida a instalação de videovigilância nos gabinetes e noutros locais eminentemente privados, por força da lei de dados pessoais".

Texto publicado na edição do Expresso de 18 de setembro de 2010


Fraudes na Net!

Denominado “harsdorfsgroup“. o é que isto se processa….. enviam um e-mail com o seguinte teor:

Harsdorf’s For Safer Life and Business Growing!
A companhia desenvolve-se dinamicamente e devido ao alargamento da sua actividade está a promover um concurso para preencher a vaga: (Representante regional) especialista em ligações com clientes.
Sobre a nossa companhia:
Harsdorf’s está a fazer a vossa vida mais segura e o negócio mais vantajoso!
Harsdorf’s é uma empresa privada especializada na prestação de serviços mais variáveis: elaboração de projectos, certificação de mercadorias e cálculos de riscos em áreas de saúde pública e segurança.
A empresa envia os interessados a estudarem no Centro de Saúde Pública visto que Harsdorf’s presta especial atenção à qualidade de géneros alimentícios, água potável e ao meio ambiente. A nossa companhia presta serviços no domínio de certificação e estandardização da qualidade. Os nossos clientes são tanto importantes empresas industriais e organismos de gestão como pessoas privadas.
Está a sonhar ha muito com o trabalho numa companhia importante e com o salário digno? É fácil. Basta preencher o questionário e enviar a mensagem ao endereço: work@harsdorfsgroup.com
O número de vagas está limitado.
O candidato deve corresponder às seguintes requisições:
- homem ou mulher de até 65 anos de idade;
- boa comunicabilidade;
- saber travar conversações e concluir contratos;
- aspirar a conseguir resultados;
- dominar o inglês básico.
Se estiver interessado na nossa proposta, envie-nos o questionário preenchido por correio electrónico ao endereço: work@harsdorfsgroup.com indicando o nome completo (referência da mensagem), seu telefone anexando o seu curriculum vitae. Se precisar informação detalhada, entre no nosso site: www.harsdorfsgroup.com .
Questionário:
Nome completo:
Idade:
E-mail:
Telemóvel:

Basicamente prometem que ganhamos 2.000 USD por mês + comissões, e o que temos que fazer é levantar dinheiro da nossa conta bancária (dinheiro esse que eles depositam lá) e transferir esse dinheiro através da western Union para onde nos dizem.

Resta dizer que antes se chamamvam http://www.globalcorporateservice.com/, mas como com esse nome já foram apanhados, mudaram o nome, fizeram o registo da página em nome de http://www.harsdorfsgroup.com/ em 9 de junho de 2008, e cá estão de volta a pedir os dados pessoais dos mais incautos e os NIBS, IBAN e SWIFTS das contas.

Importa aqui dizer que se trata de um esquema de lavagem de dinheiro da máfia russa, o que implica responsabilidades criminais e congelamento das contas bancárias.

Já agora conhece algum esquema recente? Foi vitima de algum?

Partilhe as suas informações!

Até Breve!

Ministro tem ataque de riso em pleno Parlamento

Ministro Suíço não entendeu linguagem de documento e acabou aplaudido por tanto rir.


O ministro das Finanças da Suíça protagonizou um momento insólito no parlamento esta quarta-feira. Hans-Rudolf Merz teve um verdadeiro ataque de riso e acabou por ser fortemente aplaudido pelos deputados.

O vídeo já corre na Internet é um sucesso com milhares de visualizações. O ministro lia uma pergunta sobre a burocracia para a importação de carnes temperadas, quando acabou por não conter o riso. O ministro ainda tentou conter o riso, mas na verdade quanto mais tentava, mais ria.
Hans-Rudolf Merz confessou mais tarde não ter entendido a linguagem usada na pergunta que lia.

Veja aqui o vídeo


Sócrates demite-se se Orçamento chumbar

Sócrates demite-se se Orçamento chumbar

00h17m

Ana Paula Correia *

De Nova Iorque, o primeiro-ministro, José Sócrates, enviou a ameaça de que a não aprovação do Orçamento de Estado significará a demissão do Governo e passou a responsabilidade de uma eventual crise política para as mãos de Pedro Passos Coelho, o líder do PSD.

foto GINO DOMENICO/Lusa
Sócrates demite-se se  Orçamento chumbar
Sócrates em Nova Iorque

A mensagem de Sócrates, ontem, não poderia ser mais clara: "Decorre do bom senso político que, quando um Governo não tem um Orçamento aprovado, também não tem condições para governar, ainda para mais na actual conjuntura".


Estava, assim, reforçada a ideia lançada no dia anterior por Silva Pereira, à qual se seguiu o anúncio da iniciativa de Cavaco Silva de chamara os partidos a Belém, na próxima semana

"Acho muito negativo para o país, Portugal não ter Orçamento, porque será a confissão de que não somos capazes de resolver os nossos problemas. Isso é absolutamente incompatível com as necessidades do país".

Desta análise da realidade, o primeiro-ministro passa ao ataque e, na sua versão do que aconteceu nas reuniões em S.Bento, afirmou que "disse ao líder do PSD que deveríamos ter uma negociação prévia do Orçamento, sem condições e aceitando as diferenças, mas com o objectivo de se chegar a um compromisso. Lamento que o PSD tenha respondido não".

Apesar de falar na ausência de condições _ desmentindo o que tem vindo a ser dito pelos dirigentes sociais-democratas _ Sócrates admitiu ter dito a Passos Coelho que na tal negociação prévia "a orientação deveria ser a de um Orçamento centrado na redução da despesa, mas sem excluir outras necessidades". E não descartou o aumento de impostos "caso isso for mais justo do que reduzir despesa..." A seguir, foi mais longe, ao dizer que não aceita "reduzir a despesa se isso atingir a saúde, se isso atingir a educação, porque o país precisa de bons serviços públicos".

Ainda em Nova Iorque, onde está para participar amanhã na 65.ª sessão plenária geral das Nações Unidas, o chefe do Governo disse compreender a posição de Cavaco Silva em querer ouvir os partidos.

"Trata-se de um passo positivo de quem mostra preocupação". Expressa esta consideração foi dizendo que "não é ao presidente da República que compete fazer governos nem resolver os problemas. Isso compete aos partidos e lamento que os partidos se tenham colocado na posição que agora exige ao senhor presidente da República fazer consultas".

*com Lusa

Cantar de galo

Publicado em SAPO Desporto

Amor verdadeiro

Publicado em SAPO Notícias

O pacificador


24-09-2010 05:13

Foto do dia

Greenpeace na Escócia

Foto@EPA/Will Rose, Greenpeace

Um membro da Greenpeace escala a plataforma petrolífera Stena Carron, da Chevron. A Greenpeace impediu que a plataforma se deslocasse para o local onde iria perfurar para pesquisar petróleo em profundidade, ao largo das ilhas Shetland.

Passos Coelho diz que não volta a conversar a sós com Sócrates (DD)

Passos Coelho diz que não volta a conversar a sós com  Sócrates (DD)

PSD

Passos Coelho diz que não volta a conversar a sós com Sócrates (DD)

O presidente do PSD, Pedro Passos Coelho, afirmou hoje aos jornalistas em Ponta Delgada, Açores, que não voltará a reunir com José Sócrates sem que estejam na sala outras pessoas que possam «testemunhar» a conversa.

Perfil - Armando Vara


Armando Vara

Armando António Martins Vara (Vilar de Ossos, Vinhais, 19 de Fevereiro de 1954) é um político português e administrador bancário[1]. Estudou Filosofia na Universidade Nova de Lisboa, tendo abandonado a universidade sem obter o diploma de licenciatura. Em 2004, antes de ter qualquer licenciatura, obteve um diploma de Pós-Graduação em Gestão Empresarial no ISCTE. Mais tarde obteve o diploma de licenciatura no Curso de Relações Internacionais na agora defunta Universidade Independente, três dias antes [2] [3] da sua nomeação para a Administração da Caixa Geral de Depósitos, cargo que deixou de exercer para assumir a vice-presidência do Banco Comercial Português[4].

Um mês e meio depois de ter abandonado a Caixa Geral de Depósitos para assumir a vice-presidência do Banco Comercial Português, foi promovido no banco público ao escalão máximo de vencimento, o nível 18, o que terá reflexos para efeitos de reforma [5].

Carreira política e profissional

Foi deputado à Assembleia da República nas IV, V, VI e VII Legislaturas.

Em 1991 foi candidato a presidente da Câmara Municipal da Amadora, tendo perdido para a CDU. Foi vereador durante algum tempo.

No governo de António Guterres foi primeiro a secretário de Estado da Administração Interna (1995-97), depois a secretário de Estado adjunto do ministro da Administração Interna (1997-99).

Após a vitória eleitoral do PS em 1999, tornou-se ministro adjunto do primeiro-ministro (1999-2000), com os pelouros da juventude, toxicodependência e comunicação social.

Vara recorreu ao director-geral do GEPI (Gabinete de Estudos e Planeamento de Instalações do Ministério da Administração Interna) e a engenheiros que dele dependiam para projectar a moradia que construiu perto de Montemor-o-Novo[6][7].

Em 2000, passou a ministro da Juventude e Desporto.

Ainda em 2000 viu-se forçado a pedir a demissão ao surgirem notícias sobre alegadas irregularidades cometidas pela Fundação para a Prevenção da Segurança Rodoviária, que fundara no ano anterior, quando era secretário de Estado, processo que seria posteriormente arquivado.

Em Outubro de 2009, Armando Vara foi constituído arguido no âmbito da operação Face Oculta, desencadeada pelo Departamento de Investigação Criminal de Aveiro[8]; seguiu-se, em Novembro do mesmo ano, a suspensão do seu mandato de vice-presidente do Millennium BCP[9].

Suspendeu em Novembro de 2009 as funções que desempenhava no BCP, renunciou ao cargo a 2 de Julho e recebeu 260 mil euros de indemnização[10].

Em Setembro de 2010 foi contratado como Presidente do Conselho de Administração da Camargo Corrêa África, tendo assim a seu cargo as actividades da empresa brasileira em Moçambique e Angola[11].

Notas e referências



20 anos de política para ir de Vinhais a gestor bancário


Foi afirmando-se num distrito difícil para o PS, Bragança, onde nasceu há 55 anos, que Armando Vara conquistou espaço no PS. Por aí chegou a deputado. Antes da política foi funcionário da CGD na sua terra natal, Vinhais.

Aconteceu o mesmo, aliás, com José Sócrates, só que em Castelo Branco - e os dois são amigos de há muito. Vara foi eleito deputado pela primeira vez em 1985 e Sócrates, um pouco mais novo (tem 52 anos), na legislatura seguinte, 1987.

Em 1995 o PS regressa ao poder e os dois são nomeados secretários de Estado: Vara da Administração Interna (sendo Jorge Coelho o ministro) e Sócrates do Ambiente (com Elisa Ferreira a ministra). A ascensão de Guterres à liderança do PS (1992) fez-se assente em homens do aparelho como Vara e Sócrates.

A vida (política) começou a correr-lhe mal nos finais de 2000 (era ministro da Juventude e do Desporto). Soube-se aí que, na sua passagem pelo MAI, tinha criado uma fundação de direito privado, mas financiada pelo erário público, para organizar campanhas de prevenção rodoviária, a Fundação para a Prevenção e Segurança. Deixa o Governo no final desse ano, numa demissão muito pressionada por Jorge Sampaio, então PR.

Entre Sócrates e Vara há outro ponto comum no "currículo": são ambos licenciados pela Universidade Independente (Vara em Relações Internacionais, Sócrates em engenharia). E um personagem comum: o catedrático de engenharia António José Morais, actualmente acusado de corrupção por causa de um concurso para a construção de uma central de compustagem na Cova da Beira.

Morais - cuja militância no PS se iniciou na Covilhã, onde também se iniciou a carreira política do actual primeiro-ministro - foi professor de Sócrates em quatro das cinco disciplinas com que este completou engenharia. Antes tinha desempenhado cargos no MAI por escolha de Vara.

Em 2002, o agora arguido do processo "Face Oculta" deixa a política. Torna-se director na CGD. Em 2005 sobe a administrador. Em Fevereiro de 2008, quando para o BCP avança toda a equipa da CGD, torna-se vice-presidente deste banco.

Vara acusado de exercer influências

Armando Vara, ex-governante e vice-presidente do BCP, é citado como tendo exercido influências junto do ex-ministro Mário Lino para servir os interesses de um empresário. José Penedos, líder da REN e histórico do PS, também é arguido.

Durante meses, a Polícia Judiciária não largou Manuel Godinho, dono do grupo empresarial de Ovar a que está ligado a "O2 - Tratamento e Limpeza Ambientais SA." e o único dos 13 arguidos do processo "Face oculta" que se encontra detido.

Escutou-o ao telefone e em vigilâncias constatou encontros, um pouco por todo o país, em que aquele empresário tentava resolver problemas de falta de contratos, bem como um contencioso que mantinha com a Refer, relativo a um processo por suposto roubo de carris na linha do Tua, em Macedo Cavaleiros, em que a empresa pública exigia uma indemnização de 105 mil euros.

De acordo com informações recolhidas pelo JN, a investigação dá como assente que, através de contactos com Armando Vara, Fernando Lopes Barreira (empresário e fundador da Fundação para a Prevenção e Segurança Rodoviária) e Paulo Penedos (advogado e filho do presidente da REN), Manuel Godinho chegou a exercer influências com vista à demissão do presidente da Refer.

No processo, há referências em escutas a contactos de Armando Vara com o ministro das Obras Públicas, Mário Lino, e a um alegado conhecimento do problema por parte do primeiro-ministro, José Sócrates. Há ainda referências à secretária de Estado Ana Paula Vitorino, relutante em destituir o presidente da Refer.

Mas a preocupação principal de Godinho era angariar negócios para as suas empresas. E para tal terá tido um grande apoio de Armando Vara, que lhe apresentou um alto quadro ligado à EDP Imobiliária e abriu portas a outro influente elemento na Galp. Efectivamente, o dono da "O2" teve relações comerciais com estas empresas, através de concursos e consultas públicas, além de importantes negócios com a REN, alegadamente obtidos sob influência de Paulo Penedos, filho de José Penedos - o presidente daquela empresa de capitais públicos, constituído arguido após o regresso de uma viagem a Madrid.

Acreditam os investigadores que Vara terá efectuado supostos favores a Manuel Godinho a troco de uma contrapartida de 10 mil euros em notas. Pelo menos, um tal pedido é descrito como tendo acontecido à mesa de um almoço no restaurante "Mercado do Peixe", em Lisboa, a 23 de Maio passado. Dois dias depois, esta verba terá sido entregue ao antigo ministro do PS no seu gabinete nas instalações do Millennium-bcp, em Lisboa. Seguiu-se uma reunião, na EDP, com um dos contactos angariados por Armando Vara, na EDP. Findo o encontro, o agora administrador do Millennium ter-se-á manifestado agradado com o seu bom resultado.

Entre Vara e Godinho ocorreram mais almoços no "Mercado do Peixe", mas também em Ovar, na casa do empresário, e em Vinhais, terra do antigo ministro. Todos os encontros foram seguidos pela PJ. Neste contexto, o Ministério Público dá como assente que Godinho contactou Vara e Lopes Barreira precisamente para usar a influência, real ou suposta, junto de políticos e empresas públicas sempre para servir os seus interesses.

"Afirmo que estou inocente", diz Armando Vara

Armando Vara, vice-presidente do Millennium-bcp e um dos 13 arguidos da operação "Face Oculta", garante estar inocente. "Fui ontem [quarta-feira] notificado ter sido constituído arguido em processo já tornado público [...]. Afirmo que estou inocente, pelo que aguardo com o maior interesse as provas que as autoridades venham a exibir relativas ao meu envolvimento no processo, o que por certo será efectuado em sede própria", lê-se numa nota interna enviada aos colaboradores do banco. "Esclareço ainda que estou absolutamente convicto de que as actuações que desenvolvi, enquanto titular de cargos públicos e gestor de empresas, se pautaram por rigorosos critérios de ética quer na conduta pessoal quer na conduta profissional, pelo que, estou seguro que a investigação em curso confirmará que as suspeitas levantadas carecem de qualquer fundamento", sublinha. O BCP mantém confiança no administrador.

(Fonte: Jornal de Notícias e Diário de Notícias)

A MINHA MÚSICA

Loading...

Pesquisar neste blogue

Seguidores

Governo Moçambique

Governo de Macau

Governo Cabo Verde

Governo Angola