Número total de visualizações de página

sexta-feira, 16 de janeiro de 2015

VINHOS

6x Callabriga, Esteva e Antónia Adelaide Ferreira TINTO
Classificação: Ainda não avaliado Produtor: Casa Ferreirinha
Antónia Adelaide Ferreira Red 2010

Red Callabriga 2010
Esteva 2013 ...
Preço: 139,00 €


Antónia Adelaide Ferreira Tinto 2010

Vinificação: Na chegada à adega da Quinta da Leda e, na sequência suave esmagamento e full-desengace, as uvas foram fermentadas em tanques de aço inoxidável, a uma temperatura controlada. Durante a fermentação, remontagem e robótica pressing teve lugar, com uma longa maceração, de forma a alcançar uma extracção aromática e polyphenolic equilibrada. O objectivo desta tecnologia é a de assegurar que os componentes de qualidade nas peles das uvas maduras passar suavemente para o vinho. No momento ideal "ditado" por cada variedade / blend, o mosto foi pressionado, com o vinho das prensagens sendo mantida para além do suco de correr livre. Uma vez maceração tinha acabado e as fermentações foram concluídas, maturação seguido por cerca de dois anos em barricas novas de carvalho francês, nos alojamentos Casa Ferreirinha em Vila Nova de Gaia. O lote final foi elaborado com base em uma seleção muito rigorosa, após inúmeras provas que tornou possível confirmar a qualidade dos vinhos, bem como a de sua maturação.
Notas de prova: Este vinho apresenta uma cor rubi intensa e um aroma intenso complexo, com uma prevalência de frutos vermelhos bem maduros e notas quentes de cedro e tabaco. Seus aromas também mostram especiarias e cacau, uma característica de anos de maturação cuidadosa. Devido a um longo período de envelhecimento em barris, suas notas de carvalho exibir qualidade e harmony.Its paladar apresenta uma grande estrutura com taninos finos de grão e firmes, acidez bem integrada, bem como a forte presença de especiarias como pimenta e cravo . Seu acabamento é longo e harmonioso.
Enólogo: Luís Sottomayor
Críticas e prêmios: 94 pontos na Wine Spectator Magazine; 93 pontos na Wine Enthusiast Magazine; 17 pontos na Wine Magazine Portugal; 94 pontos em Jamie Goode de WineAnorak.com; 17 pontos em Jancis Robinson.

Callabriga Tinto 2010

Vinificação: As uvas colhidas à mão, escolhidos entre as parcelas com um melhor equilíbrio de maturação foram vinificadas na Quinta da Leda s adega?. Depois de full-desengace e esmagamento suave eles foram levados para tanques de aço inox e / ou lagares robóticos, onde a fermentação ocorreu com maceração prolongada e remontagem sob temperaturas controladas. Uma longa maceração pós-fermentativa se seguiu, com o objetivo de obter o melhor extracção aromática, o que permitiu a transferência dos componentes de qualidade de pele de uva para o vinho. Callabriga foi levado para Vila Nova de Gaia entre outubro e dezembro, e sua maturação se prolongou por cerca de um ano a ser utilizada, na França (90%) e americano (10%), barris de carvalho. O lote final foi elaborado a partir de uma selecção qualitativa feita depois de muitas provas, o que tornou possível escolher os melhores vinhos, por barril e variedade de uva. O lote final foi submetido a uma ligeira filtração antes do engarrafamento.
Notas de prova: Tem uma cor rubi profundo. Tem um aroma intenso e complexo, com uma prevalência de frutos vermelhos maduros (groselha e morango), frutas negras (ameixa) e notas florais de rock-rosa. Aromas picantes (pimenta e curry) também estão presentes, devido à maturação de carvalho. Notas de carvalho de excelente qualidade são muito bem integrada. O paladar tem uma multa taninos corpo, fine-qualidade, uma acidez bem integrada, uma forte presença de frutas vermelhas e notas de especiarias quentes. Ele tem um final longo e complexo.
Enólogo: Luís Sottomayor
Críticas e prêmios: 92 pontos na Wine Spectator Magazine.

Esteva Tinto 2013

Vinificação: Foi feito a partir de uvas de categoria A (qualidade superior da região) a partir de vinhas da Casa Ferreirnha na área do Pinhão, especialmente Quinta do Caêdo e Quinta do Porto, mas também das áreas de maior altitude circundantes. As uvas foram colhidas na maturidade ideal para este estilo de vinho, a fim de preservar a acidez natural. Os cachos foram escolhidos a dedo suavemente desengaçadas e esmagadas, e, posteriormente, fermentado em tanques de aço inoxidável, com remontagem e maceração da pele, a uma temperatura controlada de 28ºC. Depois da maceração, fermentação maloláctica ocorreu. Os vinhos seleccionados permaneceu no Douro durante o inverno em tanques de aço inoxidável. Submetidos aos tradicionalmente baixas temperaturas, tanto da época e da região, os vinhos esclareceu naturalmente, antes de ser transferido e levado para Vila Nova de Gaia. O lote final foi baseada em uma cuidadosa selecção e inúmeras provas.
Notas de prova: Tem uma cor rubi intensa e um fino bouquet intenso e harmonioso, com uma prevalência de frutas vermelhas, como morango e framboesa, frutas negras (ameixa) e componentes aromáticos (resina e tabaco). Na boca este vinho tem um ataque suave e mostra uma fina estrutura com taninos integrados e uma excelente qualidade, combinada com uma acidez equilibrada que lhe confere frescura. Frutas vermelhas também estão em evidência, bem como algumas especiarias. Ele tem um acabamento elegante e harmonioso.
Enólogo: Luís Sottomayor
Críticas e prêmios: 89 pontos na Wine Spectator Magazine; 87 pontos em CellarTracker; 85 pontos em Robert Parker; 15,5 pontos em Jancis Robinson; 15,5 pontos em Revista Wine Portugal; Medalha de Prata Concours Mondial de Bruxelles 2013; Commended Decanter Wine Awards Mundo de 2013; Medalha de prata Vinalies Internationales 2013.

Sem comentários:

A MINHA MÚSICA

Loading...

Pesquisar neste blogue

Seguidores

Governo Moçambique

Governo de Macau

Governo Cabo Verde

Governo Angola