Número total de visualizações de página

sexta-feira, 12 de dezembro de 2014

SÓCRATES - os processos a que escapou...ter a decência de ler!


José Sócrates escapou, entre outros, aos seguintes casos e processos:



A.              Sovenco <http://psitasideo.blogspot.pt/2008/03/jos-scrates-sovenco-e-mentira-que-at-j.html> , empresa de distribuição de combustíveis na Amadora, em que foi sócio com Armando Vara, Fátima Felgueiras e Virgílio de Sousa.




B.               Progitap, quando trabalhou nesta empresa dos irmãos Geraldes Pinto, na angariação de clientes ( câmaras municipais );.




C.               Resin <http://www.cmjornal.xl.pt/nacional/politica/detalhe/socrates-desmente-ligacoes-a-resin.html> , empresa que ganhou várias concessões de recolha e tratamento de resíduos urbanos, alegadamente mediante as ligações a José Sócrates e Fátima Felgueiras;



D.              Cova da Beira <http://www.publico.pt/sociedade/noticia/cova-da-beira-vai-a-julgamento-mas-investigacao-ficou-a-meio-1516826> , de aquisição de um terreno polémico para um aterro sanitário, e projecto e selecção de construtoras pelo seu grande amigo António José Morais, a Conegil do seu amigo Santos Silva ganhou o concurso;



E.               Siresp <http://www.tretas.org/DossierSIRESP> , do seu amigo Horácio Luís de Carvalho (HLC), num contrato polémico, renegociado pelo seu governo, de 485 milhões de euros (e que alegadamente deveria ter custado um quinto desse valor <http://publico.pt/sociedade/noticia/estado-gastou-485-milhoes-em-negocio-que-valia-um-quinto-1330851> ) para o sistema de comunicações das forças de segurança.


F.                Licenciatura em Engenharia Civil na Universidade Independente <http://www.amazon.com/Dossi%C3%AA-S%C3%B3crates-Edi%C3%A7%C3%A3o-Portuguese-Edition/dp/1445207052> : releia-se  o despacho das procuradoras Cândida Almeida e Carla Dias, de 31-7-2007 <http://www.pgr.pt/grupo_soltas/Actualidades/2011/Despacho%20final%20-%20Inq%20%2025-075TELSB.pdf> , de arquivamento do inquérito por queixa do advogado José Maria Martins sobre alegada utilização de documento falso, o certificado de licenciatura da Universidade Independente, datado de 26 de Agosto de 1996 <http://doportugalprofundo.blogspot.pt/2012/04/recusada-reabertura-do-inquerito-sobre.html> , com timbre com indicativo telefónico « 21 » e código postal com sete dígitos que só vieram a ser criados cerca de dois anos depois; e o rápido despacho de arquivamento, da coordenadora da então coordenadora do  DCIAP Cândida Almeida e da procuradora Carla Dias, datado de 3 de Abril de 2012 <http://www.pgr.pt/grupo_soltas/Actualidades/2012/Despacho%2025-07-5TELSB.pdf> , datado de 3 de Abril de 2012, sobre a participação criminal do advogado Alexandre Lafayette <http://pt.scribd.com/doc/86257046/Licenciatura-de-Socrates-queixa-ja-esta-no-MP> , em 20 de Março de 2012, estando no tribunal administrativo de Lisboa em análise a eventual declaração de nulidade da sua licenciatura, com base em queixa do ex-vice-reitor Rui Verde, em 29-4-2013 <http://www.tvi24.iol.pt/politica/videos/pedida-em-tribunal-nulidade-da-licenciatura-de-socrates> .


G.              Freeport <https://www.youtube.com/watch?v=2nmIcGdlZiM> , apesar de denunciado, por alegadamente ter recebido 2,5 milhões de euros para licenciamento de um centro comercial, não chegou sequer a constituído arguido <http://doportugalprofundo.blogspot.pt/2010/07/veritas-liberabit-vos.html> , apesar dos indícios e evidências que se podem ler no acórdão de 20-7-2012 e certidão extraída, do Tribunal do Montijo do Círculo do Barreiro, presidido pelo desassombrado juiz Afonso Andrade <http://doportugalprofundo.blogspot.pt/2012/08/texto-integral-do-acordao-do-processo.html> .



H.               Face Oculta <http://www.destak.pt/artigo/53030> , onde chegou a ser suspeito por ter ordenado a compra à PT, de Zeinal Bava, dos meios de comunicação nacional que não controlava - TVI, Correio da Manhã e Público.



I.                  Taguspark <http://www.ionline.pt/artigos/portugal/juiza-cita-gato-fedorento-votar-contra-absolvicoes-no-caso-taguspark/pag/-1> : alegado pagamento de 750 mil euros ao ex-jogador Luís Figo para o apoio deste à campanha eleitoral de José Sócrates nas legislativas de 2009.



Pode ver-se uma súmula breve de alguns destes casos feita por Micael Pereira, no Expresso de Ricardo Costa « As sombras de Sócrates <http://expresso.sapo.pt/as-sombras-de-socrates=f899475>  >> Os motivos da prisão de Sócrates conhecidos são vários:



1.      O alegado negócio de venda a si próprio, através do seu amigo Carlos Santos Silva ( colocado no Grupo Lena ), da casa onde morava sua mãe <http://www.cmjornal.xl.pt/exclusivos/detalhe/casa_da_mae_desvenda_polvo.html> , na esquina da Rua Brancamp com a rua Castilho, em Lisboa,para justificar a sua fortuna com a herança <http://sol.pt/noticia/118942>  ( que era relativamente modesta) da sua mãe, que terá dado origem ao processo, após « comunicação bancária <http://delitodeopiniao.blogs.sapo.pt/gostam-de-teorias-da-conspiracao-6859929>  » (CGD).



2.      O financiamento do seu luxuoso apartamento com « 250 metros quadrados (...) à beira do rio Sena», em Paris <http://sol.pt/noticia/118942>  ( que comprou por 2,8 milhões de euros e já pôs à venda por quatro milhões <http://sol.pt/noticia/118942>  ), onde até constou que tinha mordomo, mas « por muitas outras coisas <http://rr.sapo.pt/informacao_detalhe.aspx?fid=1&did=169703>  », presume-se mais ainda do que o Correio da Manhã e o Sol (e no passado «O Crime», de José Leite) têm profusamente listado.



3.      A aprovação, no Orçamento de Estado para 2010, do Regime Excepcional de Regularização Tributária (RERT II) de exoneração de obrigações tributárias mediante o pagamento de 5% <http://www.amsa.pt/xms/files/Newsletters/News_29_PORT_1-8.pdf>  ( em vez dos quase 40% que teriam de ser aplicados no imposto sobre rendimento de milhões ) de que, alegadamente, beneficiou ele mesmo (tal como havia feito em 2005) <http://www.sol.pt/noticia/118947> , através da vinda a Portugal, nesse ano, para serem benzidos, 20 milhões de euros, depositados no banco suíço UBS, alegadamente obtidos em luvas de negócios corruptos de Estado.



4.      As alegadas « facturas forjadas » para justificar transferências de dinheiro <http://sol.pt/noticia/118945> , num alegado esquema complicado de lavagem de dinheiro <https://www.facebook.com/jornalsol/photos/a.122532267350.104041.54634527350/10152865014367351/?type=1>  que, alegadamente, envolve o administrador da Octapharma Portugal, Joaquim Paulo Lalanda de Castro, para a qual Sócrates trabalharia como Presidente do Conselho Consultivo para a América Latina <http://www.dn.pt/politica/interior.aspx?content_id=3067156>  ( um título pomposo e vazio, à medida de Sócrates...), mais o seu testa de ferro Santos Silva e o seu advogado Gonçalo Ferreira, que alegadamente lhe levantam e entregam todos os meses 10 mil euros em numerário, além de Santos Silva transferir mensalmente 12 mil euros da sua / dele conta para offshore inglesa em nome de Paulo Castro (para pagar a avença da Octapharma a Sócrates, que seria simulada para fisco ver <http://doportugalprofundo.blogspot.pt/2011/12/quelques-cles-pour-comprendre-le.html>  ?). Porque um dos problemas de Sócrates era justificar o dinheiro desbaratado numa vida faustosa, como Felícia Cabrita conta no Sol, de 22-11-2014 <http://sol.pt/noticia/118942> , « entre viagens de férias, velhos vícios e a renda do andar em Paris », sendo que este utilizaria preferencialmente « no dia-a-dia dinheiro vivo <http://sol.pt/noticia/118945>  ».



5.      O financiamento do mestrado em Ciência Política, na Sciences-Po, na investigação do qual terá colaborado o fisco francês <http://economico.sapo.pt/noticias/fisco-frances-ajuda-investigacao-de-movimentos-financeiros-de-socrates_206620.html> .



6.      A alegada participação do motorista de Sócrates no esquema de fornecimento de dinheiro vivo ao ex-primeiro-ministro, João Perna: no CM, de 24-11-2014, « Motorista caçado com malas de dinheiro <http://www.cmjornal.xl.pt/exclusivos/detalhe/motorista_fotografado_com_malas__de_dinheiro.html>  » e no Público, também de hoje, que titula « Motorista de Sócrates ia de carro levar o dinheiro a Paris <http://jornais.sapo.pt/nacional/4090>  », o que fazia periodicamente <http://www.publico.pt/politica/noticia/motorista-de-socrates-ia-periodicamente-a-paris-entregarlhe-dinheiro-vivo-1677253> . O motorista parece ter funcionado como « correio do dinheiro <http://www.dn.pt/inicio/portugal/interior.aspx?content_id=4257177>  » (DN, 24-11-2014) para Sócrates, que não arriscava o transporte de grandes somas. A equipa de investigação liderada por Rosário Teixeira, e com supervisão do juiz de instrução Carlos Alexandre, usou o método utilizado pela CIA para apanhar Ossama ben Laden <http://theweek.com/article/index/243389/how-the-cia-really-caught-bin-ladens-trail> : vigiar o correio e seguir os seus movimentos <http://youtu.be/qLC0nRJJXvg> .



7.      O CM, de 24-11-2014, titula ainda « Apanhado nas escutas do "Labirinto" <http://jornais.sapo.pt/nacional/4063> », referindo-se à operação do DCIAP/TCIC sobre a venda ilegal de vistos dourados. « O sistema labiríntico <http://doportugalprofundo.blogspot.pt/2014/11/o-sistema-labirintico.html>  », uma matéria que o jornalista José António Cerejo explorou no Público, de 23-11-2014, p. 12, «Arguido dos vistos dourados está ligado á multinacional em que Sócrates trabalha <http://4.bp.blogspot.com/-ocewJ3dGqkU/VHHEtuSx1PI/AAAAAAAAW1M/cvVNKE190sI/s1600/P%2B23%2B11%2B14.JPG> ».



8.      Além destes factos, a curiosidade demonstradora da sua personalidade, de, alegadamente, segundo o Sol, de 22-11-2014 <http://sol.pt/noticia/118944> , ter comprado trinta mil exemplares do próprio livro que publicou « A confiança no mundo », de forma a fazer subir o livro no ranking de vendas nacional.



O inquérito e a detenção do ex-primeiro-ministro foram possíveis porque perdeu a protecção dos aparelhos de poder: procuradoria, Governo e Presidente da República. Porque os serviços de informação não tiveram força suficiente para o defender e falharam a manobra concertada dos socialistas e dos mendistas <http://portadaloja.blogspot.pt/2014/11/octopus-vulgaris-o-que-parece-e.html>  para destituir Passos Coelho. Porque o DCIAP de Amadeu Guerra não é o mesmo que o de Cândida Almeida, tal como Joana Marques Vidal não é Fernando Pinto Monteiro <http://sol.pt/noticia/118998> . Ainda que Sócrates pareça ter tido informação interna das diligências da investigação <http://sol.pt/noticia/119042> , que o terá eventualmente levado a uma alegada manobra de ilusão, após ter feito o check-in em Paris, estando a equipa de detenção à sua espera no aeroporto de Lisboa e com o seu advogado logo no dia seguinte a manifestar a disponibilidade para Sócrates prestar esclarecimentos ao DCIAP ( CM, 22-11-2014 <http://m.cmjornal.xl.pt/detalhe.aspx?channelid=172%7c600507>  ) - é a essa  fuga de informação <http://delitodeopiniao.blogs.sapo.pt/gostam-de-teorias-da-conspiracao-6859929>  que tem de se dar prioridade em inquérito na Procuradoria <http://www.sabado.pt/Ultima-hora/Politica/segredo-justica.aspx> ... De outro modo, os corajosos magistrados do Ministério Público, com Rosário Teixeira à cabeça, e o destemido juiz Carlos Alexandre <http://observador.pt/2014/11/23/carlos-alexandre/> , sofreriam uma «canelada <http://www.publico.pt/politica/noticia/ferro-disse-que-processo-de-paulo-pedroso-so-ia-a-canelada-1171467> » ( como pretendia Ferro Rodrigues sobre o processo Casa Pia, em 2003 ) e seriam afastados indirectamente do caso.



A solidez dos factos enunciados e a impopularidade da fortuna de José Sócrates levaram ao seu isolamento político <http://www.cmjornal.xl.pt/nacional/politica/detalhe/reacoes_partidarias_a_detencao_de_socrates.html>  mesmo no Partido Socialista e na Maçonaria. António Costa foi cauteloso <http://www.cmjornal.xl.pt/cm_ao_minuto/detalhe/ps_costa_pede_aos_militantes_para_nao_envolverem_partido_na_apreciacao_do_processo_de_socrates.html> , como não foi em 2003, no caso Casa Pia quando interferia no processo, nomeadamente em 21-3-2003: « Pá, talvez o teu irmão seja altura de procurar o Guerra <http://www.cmjornal.xl.pt/cm_ao_minuto/detalhe/pressoes-do-ps-sobre-a-justica.html>  ». O PS parece não querer arriscar outra campanha rosa-choque contra a justiça. Na verdade, a detenção de Sócrates dá jeito a António Costa, um general que tem acesso a dinheiro ( por isso, não abandona a câmara municipal de Lisboa ), mas não tem tropas: dependia de Sócrates e continua a depender dos ferrosos. Uns e outros é que lhe arranjaram os sindicatos de voto que lhe permitiu ganhar a António José Seguro. O ex-líder socialista, Seguro, aliás, devia agora falar da corrupção que soube, da espionagem e pressão de que foi alvo e dos sindicatos de voto que o derrotaram, para percebermos como foi tramado.



Do lado de Sócrates, apenas alguns fiéis: Edite Estrela, João Soares <http://www.publico.pt/politica/noticia/joao-soares-considera-prisao-de-socrates-perversa-tentativa-de-humilhacao-1677117> , Marinho e Pinto <http://observador.pt/2014/11/22/um-pais-transformado-num-castelo-de-cartas/>  e a bastonária da Ordem dos Advogados Elina Fraga <http://www.tsf.pt/PaginaInicial/Portugal/Interior.aspx?content_id=4256920>  e o vice-bastonário Rui da Silva Leal <http://www.noticiasaominuto.com/pais/310589/a-detencao-de-socrates-e-absolutamente-ilegal>  que sem conhecer o processo afirmou que « a detenção é absolutamente ilegal » por, em sua opinião, não estarem cumpridos os requisitos da mesma (!), Clara Ferreira Alves <http://expresso.sapo.pt/a-justica-a-que-temos-direito=f899406> , São José Almeida <http://www.publico.pt/politica/noticia/os-timings-da-justica-e-a-politica-1677147> , o socialista ferroso Pedro Adão e Silva <https://www.youtube.com/watch?v=-F5z30zHC1M> , Pedro Marques Lopes e mais um ou outro em justificações nuancées. O objectivo de desviar a atenção da substância dos factos para a vitimização mediática do ex-primeiro-ministro parece estar a falhar, apesar da intervenção sub-reptícia dos editores de confiança.

1.transit gloria mundi: os mesmos que o carregavam na sedia gestatoria de papa do sistema são aqueles que agora juram que sempre o criticaram e recomendam severidade no castigo. Ou, estando mais comprometidos, calam-se e escondem-se: surpreende como o seu amigo Daniel Proença de Carvalho o despreza e Sócrates tem de recorrer a João Araújo <http://observador.pt/2014/11/22/joao-araujo-devera-ser-advogado-de-defesa-de-jose-socrates/>  para o defender. Porém, está Paula Lourenço, natural da Covilhã e alegada amiga de Sócrates <http://sol.pt/noticia/119042> , que foi chamada a defender Charles Smith ( o do que foi apanhado num video, no caso Freeport, a afirmar que Sócrates «is corrupt <https://www.youtube.com/watch?v=2nmIcGdlZiM> » e que lhe fazia chegar «brown envelopes» com três e quatro mil euros, por causa do licenciamento do centro comercial ) e que os média noticiaram que defende, pelo menos, dois dos outros três arguidos. Como já foram ouvidos, os outros três arguidos ( o testa de ferro Carlos Santos Silva, o seu advogado Gonçalo Ferreira e o motorista João Perna ), e Sócrates é o único a ser ouvido na manhã de 24-11-2014, parece ter havido a necessidade urgente de esquecer as aparências ( salvo no sorriso ostensivamente encenado de Sócrates na saída do TCIC e entrada nos calabouços da PSP...), parar com a diversão de João Araújo ( que estava a correr mal, segundo se viu das reacções aos média...), centralizar a defesa e destapar a artilharia.



2. Factos, factos, factos!
O problema de José Sócrates é que, tendo uma infância sofrida ( deixado ao pai, pela sua mãe, que ficou com o seu irmão ) e uma adolescência e juventude com pouco dinheiro, não abdica dos prazeres, a que o seu estilo o compele. Em contraste com a maioria daqueles que obtém ilegalmente grandes fundos e que, pelo menos em Portugal, procuram não exceder um nível de vida que os rendimentos declarados permitem, e de políticos que se conformam com o poder, que tudo permite, Sócrates não abdica do dinheiro e do fausto que os milhões alegadamente arrecadados lhe permitem, seja em restaurantes e hotéis de nomeada, seja nos « velhos vícios » <http://sol.pt/noticia/118942>  ( que Felícia Cabrita refere no Sol, de 22-11-2014 <http://sol.pt/noticia/118942>  ).



Em contraste com os 2,25 milhões, segundo o Público, de 23-11-2014 <http://www.publico.pt/multimedia/video/vida-como-deputado-ministro-e-primeiroministro-tera-rendido-225-milhoes-de-euros-a-socrates-20141123210181> , que constituiriam os rendimentos obtidos entre 1987, quando chegou a Lisboa como deputado, depois de trabalhar como engenheiro técnico na Covilhã, e 2014, Sócrates teria um património de 23,2 milhões de euros ( incluindo os 20 milhões que o jornal diz estarem na Suíça, na conta do amigo, e a casa de Paris ). Segundo Felícia Cabrita, em notícia do Sol, de 22-11-2014 <http://www.sol.pt/noticia/118945> , dos 20 milhões de euros <http://sol.pt/noticia/118941>  do dinheiro de Sócrates, « com o resgate do BES e a passagem para o Novo Banco, metade da fortuna já foi transferida para outra instituição bancária ». E se assim foi, como se diz, arriscaria José Sócrates ( o alegado dono do dinheiro da conta de Carlos Manuel Santos Silva, um ex-falido construtor civil da Covilhã, um « bom rapaz », ou outra pessoa, manter todo o seu dinheiro em Portugal, à mercê das autoridades ? Ainda em cima, nesta hipótese imprudente, manteria a sua alegada fortuna no BES, um banco cuja circunstância precária tinha obrigação de conhecer ? Não serão os alegados 20 milhões de euros apenas o pocket money para Sócrates viver dos juros em Portugal, mantendo-se o grosso da fortuna em paraísos fiscais mais seguros do que a nova Suíça <http://www.caplaw.ch/2013/switzerland-between-bank-secrecy-and-automatic/>  ?



Não conhecendo senão o que vem nos jornais, e portanto sem saber o que foi investigado e conseguido, referir alguns factos para investigação sobre José Sócrates:



1.      Apurar a aquisição das valiosas obras de arte que José Sócrates possui. Se for provada a origem ilegal dos fundos e do património, apreender a sua colecção de arte, com urgência.



2.      Apurar a sua intervenção nos casos da venda da Vivo e de compra da Oi <http://doportugalprofundo.blogspot.pt/2014/10/investigar-os-negocios-da-pt-na-compra.html> , no Brasil. O saldo na venda da participação da PT de 30% da Vivo, entre o veto de Sócrates ao negócio, usando a golden share do Estado, em 30 de Junho de 2010, e a sua permissão, 28 dias depois, é de 350 milhões de euros (7.500.000.000 - 7.150.000.000 = 350.000.000). Também a compra da Vivo suscitou dúvidas em Portugal e no Brasil.



3.      Apurar a sua intervenção na centena de parcerias público-privadas, além dos negócios feitos com o grupo Lena em Portugal e no estrangeiro (Venezuela).



4.      Apurar o papel de Sócrates, se existiu, na tomada do BCP pelos seus amigos, nomeadamente Armando Vara, com a concessão pela Caixa Geral de Depósitos a Joe Berardo de 500 milhões para aquisição de acções do banco <http://www.publico.pt/economia/noticia/joe-berardo-e-aliados-compraram-accoes-do-bcp-com-credito-da-caixa_1315596>  ( decidida por administradores da Caixa que meses depois transitaram para... a administração do BCP ).



5.      Apurar o relacionamento de José Sócrates com o grupo Espírito Santo, referido, pelo CM, de 21-10-2012 <http://www.cmjornal.xl.pt/exclusivos/detalhe/passos-e-socrates-apanhados-em-escutas.html> , nomeadamente Ricardo Salgado, atendendo a uma conversa do ex-primeiro-ministro com José Maria Ricciardi do grupo BES, numa conversa em que se tratam por tu (!), Sócrates lhe diz que não consegue falar com Ricardo (Salgado) e lhe pede que « não se esquecessem do amigo que está em Paris ».



6.      Apurar a sua intervenção, se houve, na alteração do Regulamento do Parque Natural da Arrábida que determinou a modificação do regime de exploração das pedreiras de cimento da Secil no Outão <http://www.rtp.pt/noticias/index.php?article=15584&tm=8&layout=121&visual=49> , em 23-8-2005.



7.      Apurar a utilização dos cartões de pagamento do Tesouro ( Visa IGCP Carge Card ) <http://doportugalprofundo.blogspot.pt/2012/02/onda-rosa-e-os-cartoes-submersos.html> , não apenas os usados pelo chefe de gabinete e pelo assessor administrativo de Sócrates <http://www.asjp.pt/2014/06/18/gastos-de-socrates-na-mao-de-assessores/> , mas também pelos ministros, secretários de Estado e membros dos seus gabinetes, dos seus governos, com plafonds muito elevados, um processo por queixa da Associação Sindical de Juízes Portugueses, liderada pelo juiz António Martins <http://www.asjp.pt/2014/06/16/diap-investiga-cartoes-de-socrates/> , em Fevereiro/Março de 2012 <http://doportugalprofundo.blogspot.pt/2012/02/cartaogate-queixa-crime-por.html> , que aparentava estar parado no DIAP e que só em Junho de 2014 foi noticiado algum avanço.



8.      Apurar a sua intervenção, se alguma, na venda de títulos de dívida pública pelo IGCP ( de Alberto Soares ), na época de subida da taxa de juro portuguesa, que culminou no pedido de resgate financeiro do País à União Europeia e FMI, feito por José Sócrates em 6-4-2011 <http://www.economias.pt/entrada-do-fmi-em-portugal/> .



9.      Apurar a regularidade da sua inscrição no mestrado em Ciência Política na Sciences-Po <http://economico.sapo.pt/noticias/fisco-frances-ajuda-investigacao-de-movimentos-financeiros-de-socrates_206620.html> , e a validade do título se vier a ser decretada a nulidade da sua licenciatura, e como foi elaborado o seu mémoire <http://doportugalprofundo.blogspot.pt/2013/09/o-memoire-de-socrates.html> , escrito em francês <http://doportugalprofundo.blogspot.pt/2011/12/quelques-cles-pour-comprendre-le.html>  (!) ou em português com tradução para francês, e se contou com a ajuda de alguns nègres conhecidos, ou não.



10.     Apurar o seu controlo, a sua tutela e a sua orientação <http://www.sis.pt/orgsist.html> , dos serviços de informação do Estado que procederam a acções claramente ilegais de perseguição de cidadãos inocentes durante os seus anos de poder e que continuaram, aliás, depois disso, através das suas toupeiras rosa e seus aliados salmão.




Nestes factos, como no caso em inquérito e noutros, importa apurar a verdade. Se Sócrates nada fez, melhor para ele; se infringiu a lei, que cumpra o que for determinado. Não se trata de vingança - a qual não pratico, nem aceito. Trata-se de justiça e de sanção pedagógica para a limpeza do Estado. Justifica-se que fique em prisão preventiva, tendo em conta a gravidade dos factos e, para lá do alarme social de que os média nacionais e internacionais dão conta, a forma como se moveu relativamente à investigação.




E qual o grau de conivência destes personagens em tantos "pormaiores" nas gincanas socráticas :
Noronha do Nascimento ?
Pinto Monteiro ?
Manuel Pinho ?
Júlio Pereira ?
Almeida Ribeiro ?
Cândida de Almeida ?
Daniel Proença de Carvalho ?

Sem comentários:

A MINHA MÚSICA

Loading...

Pesquisar neste blogue

Seguidores

Governo Moçambique

Governo de Macau

Governo Cabo Verde

Governo Angola